Discriminação de trabalhadores pela Idade? Pois é !

Vamos falar sobre discriminação pela idade, no mundo do trabalho?

Age discrimination – vamos falar sobre discriminação no mundo do trabalho motivada pela idade?

Eu criei o site Senioridade em 1996, quando percebi que a população madura começava e crescer e aparecer no Brasil.
Com o meu site, apoiei vários movimentos relacionados com maior justiça e menos discriminação nos processos seletivos. Agora vamos falar sobre a discriminação motivada pela idade. Agora é a hora, pois o grupo maduro está crescendo, mostrando que é poderoso e bem preparado.
Em 1967 os Estados Unidos criaram o Age discrimination in Employment Act ( ADEA), com o mesmo objetivo : combater o “ageism” e a discriminação motivada pela idade, no mundo do trabalho.
Em 1966 eu defendi uma Dissertação de Mestrado na Universidade Metodista de São Bernardo do Campo, com o seguinte título : As empresas, os profissionais de Recursos Humanos e o trabalhador que envelhece. As conclusões foram preocupantes, já naquela época. Os principais rituais de afastamento dos profissionais mais velhos eram controlados pela área de Recursos Humanos tais como restrições no processo seletivo, limitação de idade para participar de treinamentos e limites de idade para promoções. Complicado, pois naquela época mais da metade dos profissionais de RH que participaram da minha pesquisa já estariam fora dos padrões caso não fossem eles os “mestres de cerimônia” destes rituais. Como será hoje?
A minha geração está ensinando uma nova maneira de envelhecer na realidade brasileira. Somos fortes, em número significativo (quase 15 % da população brasileira) e ainda ocupamos postos críticos e importantes. A geração que seguirá a minha é ainda maior, mais bem preparada e com um poder de consumo maior. Serão eles que impulsionarão algumas das mudanças críticas para que o mundo do trabalho seja mais “age friendly”. Se não for por respeito, será pela demografia. O número de trabalhadores que envelhecem com condições e vontade de continuar ativo está, a cada dia, maior. Eles farão mais diferença do que a minha geração.
Mas….. o site Senioridade também apoiará estes movimentos, como o fez até aqui.
Mas…. sugiro conhecermos alguma coisa a mais sobre o ADEA, a partir de um artigo da AARP ( American Association for Retired People), Kimberly Palmer :
1. Discriminação por motivos de idade é ilegal em qualquer estágio das relações de trabalho, incluindo admissão, promoção, bônuses e demissões. A lei também proíbe o assédio relacionado ao fator idade por colegas, supervisores e clientes. Também proíbe aposentadorias definidas pela idade, a não ser para casos de pilotos e agentes de segurança.
2. Segundo a autora, ainda, atualmente é legal que futuros empregadores ou entrevistadores possam perguntar sobre a idade do candidato. A AARP está trabalhando para que os candidatos possam se recusar a falar sobre a própria idade durante a entrevista ou inscrições.
3. A Suprema Corte dos Estados Unidos aumentou as exigências de provas cabais de discriminação por idade, frente a dificuldades encontradas nos processos. Isso abriu vários canais para que os empregadores justifiquem decisões que podem gerar este tipo de queixa, no ambiente de trabalho.
4. Segundo a AARP, oito em 10 americanos com mais de 50 anos quer que o Congresso promova leis que previnam a discriminação pela idade.
5. Mais da metade dos trabalhadores que participaram desta pesquisa acreditam que a discriminação por idade começa quando se chega aos cinquenta anos. Quantos trabalhadores com esta idade temos nas nossas empresas? Você sabe quantos, na sua?
6. Há diferenças entre trabalhadores e trabalhadoras nesta percepção: 72% das mulheres acham que a discriminação começa aos 45 anos de idade.
7. Não ser admitido numa empresa por causa da idade é o tipo mais comum de discriminação percebido pelos trabalhadores mais velhos.
8. A AARP estimula os trabalhadores mais velhos a não ficarem quietos quando vítimas do que consideram discriminação pelo fator idade. Lá eles sugerem a utilização dos recursos da Equal Employment Opportunity Comission – EEOC. No ano passado a EEOC recebeu mais de vinte mil queixas de discriminação pela idade.
9. Ainda segundo a AARP e a partir de suas pesquisas, os trabalhadores mais velhos apresentam os melhores índices de engajamento, menor turnover e absenteísmo, para a surpresa de muitos.

Vivemos, no Brasil, uma situação bastante diferente, em alguns aspectos. O Senioridade concorda com a essência destas afirmações da autora e da Associação e continuará atento para apoiar estes movimentos aqui no Brasil.
Volto a destacar um ponto que pode ter passado menos percebido no começo deste texto: a minha geração (tenho 70 anos) abriu esta trilha da valorização do trabalhador mais velho e derrubou muitos tabus, inclusive os pseudocientíficos a respeito das condições pessoais dos idosos. A geração que me sucederá vem mais preparada, vai viver mais do que a minha e com um poder de consumo e de convencimento muito maiores.
Em suma……. os manuais de Administração de Recursos Humanos precisarão incluir mais um capítulo relacionado com o trabalhador que envelhece, no trabalho.
Hoje, os rituais de afastamento do trabalhador preponderam. Pelas minhas observações nestas últimas décadas, a mudança no perfil do trabalhador brasileiro, no que diz respeito ao fator idade é mais ou menos como “fogo morro acima” ou “água morro abaixo”. Difícil de parar.
O site Senioridade recomenda que a área de Recursos Humanos se antecipe a estas situações e comece a discutir este assunto.

Aguinaldo Aparecido Neri
Primavera de 2017.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *